LABRE-SP E ANATEL trabalhando em Sorocaba e Região

A LABRE-SP informa a todos que, diante das denúncias que recebemos acerca de comportamento inadequado de alguns radioamadores e operadores da faixa do Cidadão, na Cidade de Sorocaba, que estavam causando reflexos negativos até nas Cidades de Votorantim, Porto Feliz, Indaiatuba, Boituva, Mairinque, Itú, Salto, Campinas e outras, encaminhamos Ofício à ANATEL denunciando estas irregularidades, tendo o òrgão Regulador aberto processos contra 5 pessoas que foram devidamente identificadas, as quais responderão pelos seus atos na forma da Lei.

Pensamos em divulgar seus nomes e indicativos, porém, preferimos acreditar que estes processos farão com que corrijam seu comportamento inadequado, tornando-se, de fato, bons radioamadores.

Reafirmamos, aqui, nosso compromisso de combater incansavelmente este comportamento infeliz de uma minoria, para que os Bons Radioamadores possam praticar seu hobby com a tranquilidade a que têm direito.

Secretaria da LABRE-SP

http://www.labre-sp.org.br/noticias.php?idnotic=921&vlink=0

Siga via openaprs estação de pu2lrz-1

APRS (Automatic Position Reporting System) é um Sistema de uso dos  radioamadores, criado pelo radioamador americano Bob Bruninga (WB4APR) da Academia Naval dos Estados Unidos.

Com a utilização de programas (softwares) específicos, o radiomador consegue aliando radioGPS (Global Position Satelitte), manter contatos em longas distâncias, sem a preocupação com a abertura depropagaçãofrequências.O sistema é muito utilizado, por radioamadores, para a localização de veículos terrestres, naúticos e aeronaves. O sistema aliado ao rádio é uma ferramenta sofisticada de rastreamentoglobal, e apoio em caso de comunicações emergênciais. São utilizados, também, sinais de satélites que transmitem condições climáticas.

No Brasilfrequência utilizada para esta modalidade é 145.570 MHz. O sistema é definido como de utilidade pública, pois antes de tudo visa o auxílio ao próximo. Para fazer parte deste seleto grupo, basta que o interessado preste os devidos exames junto ao órgão Fiscalizador de Telecomunicações e obtenha o Certificado e Licença de Operador de Estação Radioamadora.

Como ter e usar:

Neste caso vou mostrar o uso via Iphone, mas você pode usar via rádio como o Kenwood TM-D700A

Confira minha localização em que uso um Iphone com o software iaprs configuração acesse aqui é simples de ter a sua localização ou www.aprs.fi

Crie seu acesso pelo site http://www.openaprs.net/ após criar a conta será gerado um código de ativação e pronto esta funcionando.

Para acompanhar via Google Earth KML clique aqui

Caso precise de ajuda enter em contato pu2lrz@hotmail.com

HOMOLOGAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E FISCALIZAÇÃO


A LABRE-SP já há algum tempo iniciou negociações com a Anatel/SP-BR, em parceria com a LABRE Nacional, no sentido de harmonizar o relacionamento Fiscalização Anatel x Radioamadores, no que tange a questões de Apreensões/Homologação de Equipamentos, cujos resultados temos a grata satisfação de divulgar com o texto abaixo enviado pelo Diretor de Radioamadorismo da LABRE Nacional, Radioamador Orlando Perez Filho – PT2 OP:

Aramir Lourenço
PY2 BY
LABRE-SP
Presidente Estadual


Em razão de diferentes interpretações das instâncias estaduais de fiscalização da Anatel quanto à homologação de equipamentos, a LABRE Nacional tem trabalhado junto à Agência no sentido de que haja um entendimento uniforme da legislação, notadamente na questão de homologação de equipamentos.

Em reunião com a Gerência responsável pela normatização sobre a homologação de equipamentos, fomos informados de que a homologação de determinado aparelho tem caráter amplo, isto é, após realizada é extensiva a todos os outros aparelhos idênticos de outros radioamadores.

A homologação só tem prazo de validade para equipamentos de fábricas ou lojas comerciais (fins comerciais). Para o radioamador a homologação é permanente, inclusive no caso de venda para outro radioamador (venda eventual, sem caráter comercial)

Informada pela LABRE de que órgãos de fiscalização estaduais da Anatel tem feito autuações em desacordo com o acima disposto, o Gerente se prontificou a entrar em contato com a Gerência de Fiscalização para emitirem esclarecimento às estaduais.

Quanto a homologação em si, a Anatel se dispôs a fazer um piloto de mutirão para homologação.

Com essa medida a Anatel, em dia previamente acordado, instalará um laboratório de homologação na sede da LABRE Nacional.

A LABRE Nacional, por sua vez, reunirá os equipamentos que necessitam de homologação (solicitará aos radioamadores – associados ou não – que levem seu equipamento a sua sede para os testes).

Feitos os testes a Anatel emitirá um laudo técnico em nome da LABRE para cada tipo/modelo de equipamento avaliado.

O equipamento somente será considerado homologado após o pagamento da taxa (R$200,00 por equipamento) legal.

Como, infelizmente, a LABRE não tem condições de arcar com essa despesa, o radioamador interessado na homologação pagará a taxa (poderá fazer uma “vaquinha” com outros eu necessitem da homologação) e a LABRE encaminhará cópia do recibo à Anatel e solicitará o término do processo de homologação. (a homologação será válida para todos os radioamadores, quem pagou e quem não pagou).

Segundo a Anatel, a taxa não pode ser dispensada, por estar prevista na legislação geral (não só do serviço de radioamador).

Esse piloto, que será feito em Brasília, caso tenha sucesso poderá no futuro ser feito nas LABRE Estaduais, desde que haja quantidade de equipamentos a serem homologados que justifique o procedimento.

Com isso os radioamadores estarão isentos do custoso e demorado procedimento de homologação através de laboratórios credenciados.

A LABRE trabalha pelos radioamadores brasileiros.

Orlando Perez .·. PT2OP

Diretor de Radioamadorismo

LABRE Nacional

Esquema antena dipolo para 6 metros

Construção simples de uma antena dipolo para utilização na banda de 6 metros.

Material utilizado:

– cano de aluminio de 1,43m de cada lado
– 20 cm de nylon para isolação
– 20 metros de cabo rg58

Confira abaixo como ficou a antena

Como podem ver é simples de se fazer e não tem segredo, neste caso não usei o “RF Choke” conforme descrito acima.

73,

PU2LRZ

Labre-SP comunica… promoção de classe pré-inscrição

Dando prosseguimento ao nosso objetivo de exames no estado de São Paulo, acham-se abertas as pré-inscrições para admissão e ou promoção de classes para a cidade de São Paulo.

O local do exame bem como a data deverá ser anunciada oportunamente.

Solicitamos que os interessados procurem acessar nosso site para acompanhar novas notícias a respeito.

Não perca essa oportunidade, venha fazer parte deste mundo maravilhoso do radioamadorismo.

http://www.labre-sp.org.br/inscricao/exames/

LABRE-SP

Faixas e frequencias de operação Classe A, B e C

Na Faixa de 160 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
1.800 a 1.850 CW
1.800 a 1.810 CW
1.809 a 1.810 CW Emissões Piloto
1.810 a 1.820 Modos Experimentais e modos não citados nesta faixa. Desde que não interfiram em segmentos adjacentes.
1.810 a 1.850 Fonia AM e Fonia SSB
Na Faixa de 80 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
3.500 a 3.800 CW
3.500 a 3.525 CW
3.520 a 3.525 CW Emissões Piloto
3.525 a 3.580 Modos Experimentais e modos não citados nesta faixa. Desde que não interfiram em segmentos adjacentes.
3.580 a 3.620 Teletipo SSB (prioritário), Fonia AM e Fonia SSB
3.620 a 3.625 Dados SSB
3.625 a 3.780 Fonia AM e Fonia SSB
3.780 a 3.800 Fonia SSB Uso exclusivo para DX
Na Faixa de 40 metros (Operação Classes A e B. Classe C de 7.000 a 7.040 Khz)
Faixa (kHz) Aplicações
7.000 a 7.300 CW
7.000 a 7.035 CW
7.035 CW Emissões Piloto
7.035 a 7.040 Dados SSB e Teletipo SSB
7.040 a 7.050 Fonia SSB Uso Exclusivo para DX
7.050 a 7.120 Fonia SSB e Fonia AM Fonia SSB prioritário
7.120 a 7.140 Modos Experimentais (prioritários), modos não citados nesta faixa, Fonia SSB e Fonia AM
(não devem interferir em segmentos adjacentes)
7.150 a 7.200 Fonia SSB e Fonia AM Fonia AM prioritário
7.200 a 7.300 Fonia AM
Na Faixa de 30 metros (Operação apenas para a Classe A)
Faixa (kHz) Aplicações
10.138 a 10.150 CW, Teletipo SSB, Dados SSB e Modos Experimentais. Respeitar largura de faixa de 3,0 kHz
Na Faixa de 20 metros (Operação apenas para a Classe A)
Faixa (kHz) Aplicações
14.000 a 14.350 CW
14.000 a 14.060 CW
14.060 a 14.095 Teletipo SSB
14.095 a 14.100 Dados SSB
14.100 CW Emissões Piloto
14.100 a 14.115 Dados SSB
14.115 a 14.350 Fonia SSB (prioritário), Fonia AM, Modos experimentais e não citados nesta faixa.
Demais modos, desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes.
14.286 Fonia AM Freqüência de chamada AM
Na Faixa de 17 metros (Operação apenas para a Classe A)
Faixa (kHz) Aplicações
18.068 a 18.168 CW
18.068 a 18.100 CW
18.105 a 18.110 Dados SSB e Teletipo SSB
18.110 CW Emissões Piloto
18.110 a 18.168 Fonia SSB (prioritário), Modos Experimentais e modos não citados nesta faixa.
Demais modos, desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
Na Faixa de 15 metros (Classe A. Classe B de 21.000 a 21.300. Classe C de 21.000 a 21.150 Khz)
Faixa (kHz) Aplicações
21.000 a 21.450 CW
21.000 a 21.070 CW
21.070 a 21.125 Teletipo SSB
21.090 a 21.125 Dados SSB
21.125 a 21.149 CW
21.149 a 21.150 CW Emissões Piloto
21.150 a 21.450 Fonia SSB (prioritário), Fonia AM, Modos Experimentais e modos não citados nesta faixa.
Demais modos, desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
21.335 a 21.345 SSTV Prioritário
Na Faixa de 12 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
24.890 a 24.990 CW
24.890 a 24.920 CW
24.920 a 24.930 Dados SSB e Teletipo SSB. Demais modos desde que não prejudiquem
modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
24.930 CW Emissões Piloto
24.930 a 24.990 Fonia SSB (prioritário), Modos Experimentais e modos não citados nesta faixa.
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
Na Faixa de 10 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
28.000 a 29.700 CW
28.000 a 28.070 CW
28.070 a 28.200 Teletipo SSB
28.120 a 28.200 Dados SSB
28.200 a 28.300 CW Emissões Piloto
28.300 a 28.675 Fonia SSB
28.675 a 28.685 SSTV SSB
28.685 a 28.700 Fonia SSB
28.700 a 29.300 Modos Experimentais (prioritários), Fonia SSB e modos não citados nesta faixa.
(não devem interferir em segmentos adjacentes).
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
29.300 a 29.510 Autorizados para comunicação via satélite
29.510 a 29.700 FM/PM Simplex ou repetidoras
Na Faixa de 6 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
50,00 a 50,10 CW Comunicados em CW e emissões piloto
50,10 a 50,30 Fonia SSB e CW 50,110 Freqüência de chamada
50,30 a 50,60 Todos os modos Desde que não interfiram em segmentos adjacentes
50,60 a 50,80 Todos os Modos menos Fonia. Desde que não interfiram em segmentos adjacentes
50,80 a 51,00 Todos os Modos Rádio controle permitido
51,00 a 51,12 Fonia SSB e CW Janela de DX Pacífico
51,12 a 51,48 Fonia FM/PM Repetidoras (Entradas) saída + 500 kHz
51,50 a 51,60 Fonia FM/PM Simplex
51,62 a 51,98 Fonia FM/PM Repetidoras (Saídas) entrada – 500 kHz
52,00 a 54,00 Todos os modos Desde que não interfiram em segmentos adjacentes
Na Faixa de 2 metros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
144,000 a 144,050 CW Reflexão lunar em CW prioritário.
Contatos terrestres em CW autorizados desde que não prejudiquem a atividade prioritária segmento
144,050 a 144,100 CW
144,090 Freqüência de chamada CW.
144,100 a 144,200 Fonia SSB, CW e Teletipo SSB Reflexão lunar e sinais fracos em SSB e eventuais contatos em CW.
Teletipo SSB desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes.
144,200 a 144,275 Fonia SSB e CW 144.200 freqüência de chamada Fonia SSB.
144,275 a 144,300 CW Emissões piloto.
144,300 a 144,500 Autorizados para comunicação via satélite (prioritário), CW, Fonia SSB e Fonia FM.
Contatos terrestres em CW e Fonia SSB e Fonia FM desde que não prejudiquem modo prioritário
ou interfiram em segmentos adjacentes.
144,500 a 144,600 Fonia FM/PM Simplex sinais fracos.
144,600 a 144,900 Fonia FM/PM Entrada de repetidoras, Saída + 600 kHz.
144,900 a 145,100 Dados FM/PM Exclusivo Radio Pacote.
145,100 a 145,200 Fonia FM/PM Simplex sinais fracos.
145,200 a 145,500 Fonia FM/PM Repetidoras (saída). Entrada – 600 kHz.
145,500 a 145,565 Todos os modos. Exceto Radio Pacote.
Modos experimentais prioritários (não devem interferir em segmentos adjacentes).
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes
145,565 a 145,575 Dados FM/PM Exclusivo APRS
145,575 a 145,800 Todos os modos. Exceto Radio Pacote.
Modos experimentais prioritário (não devem interferir em segmentos adjacentes).
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes.
145,800 a 146,000 Autorizados para comunicação via satélite.
146,000 a 146,390 Fonia FM/PM Entrada de repetidoras, Saída + 600 kHz.
146,390 a 146,600 Fonia FM/PM Simplex
146,600 a 146,990 Fonia FM/PM Saída de repetidoras, Entrada – 600 kHz
146,990 a 147,400 Fonia FM/PM Saída de repetidoras, Entrada + 600 kHz.
147,400 a 147,590 Fonia FM/PM Simplex
147,590 a 148,000 Fonia FM/PM Entrada de repetidoras, Saída – 600 kHz.
Na Faixa de 1,3 metro (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
220,000 a 221,990 Dados FM/PM
222,000 a 222,050 CW Reflexão lunar em CW
222,050 a 222,060 CW Emissões Piloto
222,060 a 222,100 CW 222,100 Freqüência de chamada CW e Fonia SSB
222,100 a 222,150 CW e Fonia SSB Sinais fracos
222,150 a 222,250 CW e Fonia SSB
222,250 a 223,380 Fonia FM/PM Entrada de repetidoras. Saída + 1.600 kHz
223,400 a 223,520 Fonia FM/PM Simplex
223,520 a 223,640 Dados FM/PM
223,640 a 223,700 Fonia FM/PM e Dados FM/PM Links e sinais de controle. Exceto Radio Pacote
223,710 a 223,850 Todos os modos Desde que não prejudiquem segmentos adjacentes.
223,850 a 224,980 Fonia FM/PM Saída de repetidoras. Entrada – 1.600 kHz
Na Faixa de 70 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
430,00 a 431,00 Todos os modos Exceto Radio Pacote. Modos experimentais prioritários.
Não devem interferir em segmentos adjacentes.
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes.
431,00 a 432,00 Dados FM/PM
432,00 a 432,07 CW Reflexão Lunar
432,07 a 432,10 CW Sinais fracos
432,10 CW e Fonia SSB Freqüência de chamada CW/SSB
432,10 a 432,30 CW e Fonia SSB Sinais fracos
432,30 a 432,40 CW Emissões piloto.
432,40 a 433,00 Fonia SSB e CW
433,00 a 433,50 Fonia FM/PM Simplex
433,50 a 433,60 Dados FM/PM Rádio Pacote / APRS
433,60 a 434,00 Fonia FM/PM Simplex
434,00 a 435,00 Fonia FM/PM Entrada de repetidoras. Saída + 5 MHz
435,00 a 438,00 Autorizados para comunicação via satélite
438,00 a 439,00 Todos os modos Exceto Radio Pacote. Modos experimentais prioritários.
Não devem interferir em segmentos adjacentes.
Demais modos desde que não prejudiquem modo prioritário ou interfiram em segmentos adjacentes.
439,00 a 440,00 Fonia FM/PM Saída de repetidoras. Entrada – 5 MHz
Na Faixa de 33 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
902,00 a 902,10 CW Reflexão Lunar
902,10 CW e Fonia SSB Freqüência de chamada
902,10 a 902,20 Fonia SSB
902,20 a 903,00 Fonia FM/PM Simplex
903,00 a 903,10 CW e Fonia SSB
903,10 a 903,50 Dados FM/PM
903,50 a 906,00 Todos os modos. Desde que não prejudiquem ou interfiram em segmentos adjacentes.
906,00 a 907,50 Fonia FM/PM Entradas de repetidoras de FM
915,00 a 918,00 Dados FM/PM
918,00 a 921,00 Fonia FM/PM Saídas de repetidoras de FM
921,00 a 927,00 FSTV (todos) ATV (Canal 2)
927,00 a 928,00 Fonia FM/PM FM simplex e links
Faixa de 23 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
1.240-1.260 Todos os modos
1.260-1.270 Autorizados para comunicação via satélite. Freqüências de subida de satélite, referência WARC ’79
1.270-1.276 Fonia FM/PM Entradas de repetidoras, saídas entre 1282 e 1288
1.271-1.283 Par de testes
1.276-1.282 Todos os modos FSTV-AM prioritário; portadora de vídeo 1.277,25 MHz;  portadora de áudio: 1281,75 MHz.
Outros modos desde que não interfiram em segmentos adjacentes.
1.282-1.288 Fonia FM/PM Saídas de repetidoras entradas entre 1270 e 1276
1.288-1.294 FSTV (todos) Emissões experimentais de banda larga, simplex ATV
1.294-1.295 Fonia FM/PM
1294,50 Fonia FM/PM Freqüência nacional de chamada para simplex
1.295 a 1.297 Fonia SSB e CW Comunicações de banda estreita e sinais fracos
1.295-1.295,80 SSTV (todos), Fac-símile (todos) e Modos Experimentais SSTV, FAX, ACSSB, modos experimentais
1.295,80-1.296,05 CW E Fonia SSB Exclusivamente Reflexão Lunar (EME)
1.296,07-1.296,08 CW Emissões piloto.
1.296,10 CW E Fonia SSB Freqüência de chamada CW e SSB
1.296,40-1.296,80 CW E Fonia SSB
1.296,80-1.297 Modos experimentais Emissões piloto experimentais (exclusivo)
1.297-1.300 Dados FM Comunicações Digitais
Na Faixa de 13 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
2.300 a 2.450 Todos os modos autorizados
Na Faixa de 9 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
3.300 a 3.600 Todos os modos autorizados
Na Faixa de 5 centímetros (Operação Classes A, B e C)
Faixa (kHz) Aplicações
5.650 a 5.920 Todos os modos autorizados
Na Faixa de 3 centímetros (Operação Classes A, B e C
Faixa (kHz) Aplicações
10,00 a 10,50 Todos os modos autorizados

Rádio amadores prontos para uma Emergência

Estar preparado para o pior cenário principalmente para uma emergência é uma das práticas do rádio amador, temos os equipamentos necessários para ajudar em diversas localidades, como EUA, Austrália, América do Sul e demais locais onde a comunicação não funciona ali esta um rádio amador prestativo. * minhas palavras pu2lrz

Abaixo a tradução da matéria:

http://www.wnep.com/news/countybycounty/wnep-luz-amateur-radio,0,7386571.story

Radio Operators Ready for an EmergencyOperadores de Radio pronto para uma emergência

Por Jon Meyer

05:32 EDT, 28 de junho de 2010
Estar preparado para o pior cenário foi a missão atrás de um final de semana de prática para os operadores de rádio amador no Condado de Luzerne. Eles têm o equipamento necessário para ajudar equipes de resgate em caso de um desastre.

Em Frances Slocum State Park, Ray Gusher falou pelo rádio com alguém no norte da Flórida. Normalmente ele faz isso por diversão, mas no domingo ele estava praticando no caso de uma emergência.

“É divertido e é interessante e ele ajuda as pessoas quando estão em um momento de necessidade”, disse Gusher.

Gusher é um dos muitos operadores de presunto que se estabeleceu em Frances Slocum Parque Estadual no fim de semana. Havia grupos semelhantes em todo o país a falar uns com os outros.

“Nós sabemos que temos de levar cordas e antenas e conectores barril. É só nos dá um pouco de prática assim que nós não estamos correndo cego”, disse Marty O’Malia de Plains Township.

Os operadores de rádio Ham ter sido chamado para a ação antes, especialmente depois do furacão Katrina pela costa do Golfo.

“Todas as torres de celular foram derrubadas, todas as infra-estruturas de comunicações para a polícia, incêndios, a Cruz Vermelha foram nocauteados”, disse Rick Rinehimer de Glen Lyon. “Nós criar e manter funcionando por 24 horas. No evento, são necessários, nós estamos prontos para ir.”

Para a maioria no evento, este é um hobby, um que faz o tempo todo, mesmo quando não há risco de emergência.

“É a minha maneira de ficar longe”, acrescentou O’Malia. “Eu sou um fazendeiro. Eu não posso sair da fazenda ou das estufas, mas o que posso fazer, eu posso falar com um cara na Austrália sobre os cangurus ou na Europa ou na América do Sul ou Cleveland, Ohio.”

O fim de semana de perfuração em todo o país envolvidos cerca de 35 mil operadores de rádio amador.

Ajuda e doações ao nordeste informações

Blog oficial de Operações PERNANBUCO e ALAGOAS

http://enchentenordeste.blogspot.com/

Veja imagens de Alagoas
Veja imagens de Pernambuco

Informações sobre a ação do Governo Federal podem ser obtidas também nos sites abaixo

Ministério da Integração Nacional
http://www.mi.gov.br/

Secretaria Nacional de Defesa Civil
http://www.defesacivil.gov.br/

Ministério da Defesa
http://www.defesa.gov.br/

Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br/

Ministério dos Transportes
http://www.transportes.gov.br/

Ministério das Cidades
http://www.cidades.gov.br/

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
http://www.mds.gov.br/

Ministério das Minas e Energia
http://www.mme.gov.br/

São Paulo

A Defesa Civil da cidade de São Paulo está recebendo doações para as vítimas das enchentes do Nordeste. O órgão recebe materiais de higiene pessoal, alimentos não-perecíveis prontos para o consumo –como enlatados, barras de cereais, cesta básica, leite longa vida e achocolatados– e roupas de cama.

Avenida Morumbi, 4.500 – 2º andar
Palácio dos Bandeirantes
São Paulo/SP
05650-905

Expediente:

09:00h às 18:00h

Coordenador

CEL. PM LUIZ MASSAO KITA
Secretário Chefe da Casa Militar do Governador

Diretor:

Ten. Cel. PM José Félix Drigo
Secretário Executivo e Diretor do Departamento de Defesa Civil

Contatos:

Telefones: (11) 2193-8303 / 8305
Fax: (11) 2193-8701
E-mail:casamilitar@casamilitar.sp.gov.br
Sítio: http://www.defesacivil.sp.gov.br

CENTRO DE GERENCIAMENTO DE EMERGÊNCIAS – 24h
Telefone: (11) 2193-8335, 2193-8666 e 2193-8888
Fax: (11) 2193-8666 (24 horas)

A Defesa Civil solicita às empresas aéreas e rodoviárias auxílio para transportar os donativos até Pernambuco e Alagoas. As doações serão recebidas diretamente na sede da Defesa Civil, localizada na Rua Afonso Pena, nº 130, durante 24 horas, todos os dias da semana.

Os interessados em atuar como voluntários e ajudar na triagem e empacotamento das doações podem se informar sobre como participar pelo telefone 0/xx/11/3313-5726.

Veja onde doar:

Alagoas

Contas:
– Banco do Brasil – Agência 3557-2, Conta-corrente 5241-8;
– Caixa Econômica Federal – Agência 2735, Conta-corrente 955-6;
– Bradesco – Agência 389-1, Conta-corrente 10.000-5;
– Banco do Nordeste – Agência 031-0, Conta-corrente 19.542-2

Maceió:
– 1º Grupamento de Bombeiros Militar – rodovia 316, Km 14, próximo a Policia Rodoviária Federal;
– Grupamento de Socorros de Emergência – Conjunto Senador Rui Palmeira, S/N;
– Subgrupamento Independente Ambiental – av. Doutor Antônio Gouveia, Pajuçara, próximo ao Iate Clube Pajuçara;
– Quartel do Comando Geral – av. Siqueira Campos, Trapiche da Barra, próximo a Pecuária;
– Defesa Civil Estadual – rua Lanevere Machado, nº 80, Trapiche da Barra, próximo a Pecuária;
– Grupamento de Salvamento Aquático – av. Assis Chateaubriand, Pontal, próximo a Braskem.

Interior de AL:
– 2º Grupamento de Bombeiros Militar – Maragogi;
– 6º Grupamento de Bombeiros Militar – Penedo;
– 7º Grupamento de Bombeiros Militar – Arapiraca e Palmeira dos Índios;
– 9º Grupamento de Bombeiros Militar Santana do Ipanema e Delmiro Gouveia.

Pernambuco

Contas:
– Banco do Brasil – Agência 1836-8, Conta-corrente 100.000-4;
– Bradesco – Agência 3201-8, Conta-corrente 600.000-2;
– Banco do Nordeste – Agência 044-2, Conta-corrente 21.462-7

Recife:
– Instituto de Assistência Social e Cidadania do Recife, na rua Imperial, no bairro de São José;
– Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados, rua Amaro Bezerra, no Derby;
– Posto de arrecadação instalado pela Polícia Militar, na Quadra Poliesportiva do Quartel do Comando Geral, no Derby;
– Secretaria de Assistência Social no Sítio Trindade, no Pátio de São Pedro e na Praça do Arsenal;
– na sede da Guarda Municipal, na rua dos Palmares, em Santo Amaro;
– Companhia de Trânsito e Transporte Urbano, na rua Frei Cassimiro, em Santo Amaro;
– posto de permanência da Guarda Municipal, no Terminal Marítimo.

Interior:
Quartéis do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

http://www.voluntariosonline.org.br/publica/index.jsf

Radioamadorismo é…

Conforme site http://pt.wikipedia.org/wiki/R%C3%A1dio_amador podemos conferir a definição de rádioamadorismo.

O radioamadorismo é um hobby científico com diversas modalidades. O radioamador é a pessoa que procura manter funcionando uma estação de radiocomunicação, ora para comunicados e conversas informais bem como para concursos e competições nacionais e internacionais. Além dos “bate-papos” e contestes, o radioamador pode auxiliar as autoridades de Defesa Civil nas situações de risco e calamidades públicas, levando as comunicações aos mais longínquos rincões, por exemplo, no interior da Amazônia ou da Savana Africana. Algumas dessas modalidades utilizam-se do Código Fonético Internacional e do Código Q em sua comunicação que é muito utilizada por radioamadores no mundo inteiro em troca de informações e mensagens, tanto em curtas quanto em longas distâncias. Além dos operadores de estações amadoras de radiocomunicação, estes códigos são utilizados por serviços diversos, tanto civis quanto militares, e também por profissionais e empresas que utilizam a radiocomunicação como fator de contato entre seus integrantes.