Aumentando a vida útil do SDcard para o Raspberry Pi

Aumentando a vida útil do cartão de memória

Como os cartões de memória tem uma quantidade máxima de gravações por setor, para aumentar sua vida útil é necessário reduzir ao máximo a quantidade de gravações realizadas. Por padrão há uma série de operações que o linux realiza de gravação no disco como journal do ext3 e ext4, memória swap.

Desta forma os passos a seguir não são obrigatórios porém objetivam aumentar a vida útil do cartão de memória. Sem eles os meus cartões duraram em média 2 semanas de utilização, após estas alterações não tive mais problemas (até o momento e  já se passaram 2 meses dessas configurações).

Com as configurações abaixo será desabilitado a memória swap do sistema.

Desabilite e desinstale o sistema de memória swap.

via ssh
sudo -i
swapoff –all
apt-get remove dphys-swapfile

Edite o arquivo /etc/rc.local e adicione as linhas abaixo antes da linha com o conteúdo “exit 0″

via ssh
sudo -i
swapoff –all

Caso queira: Para aumentar mais ainda a vida útil do sdcard e recomendável desabilitar o journal do ext4, para isso se faz necessário montar o sdcard em uma maquina linux e realizar os procedimentos abaixo.

Primeiramente identifique o device que esta o seu sdcard com o comando dmesg | grep sd, no meu caso montou em /dev/sdb.

Agora execute os comandos abaixo

tune2fs -O ^has_journal /dev/sdb2
e2fsck -f /dev/sdb2

Para verificar se o journal foi desabilitado, após iniciar o raspberry, execute o comando tune2fs -l /dev/mmcblk0p2 | grep features, e não deve aparecer o has_journal

*estas são algumas dicas que podem ajudar, mas lembre-se em deixa o raspberry pi em um local refrigerado ou com boa circulação de ar.

PU2LRZ – Rubens Zolotujin
Retirado do site e adaptado: http://www.helviojunior.com.br/it/monitoramento/zabbix/instalando-zabbix-em-raspberry-pi/

 

2 respostas para “Aumentando a vida útil do SDcard para o Raspberry Pi”

  1. conteúdo de qualidade parabens, hoje em dia está difícil, vou compartilhar e fiz questão de deixar meu comentário, obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *