Carta Aberta aos Radioamadores Paranaenses e a todos do Brasil

Prezados colegas radioamadores,
Noto que existe uma grande desunião entre nós, Radioamadores Paranaenses. Falo do Paraná, porque é
onde tenho conhecimento de causa, mas acredito que esse caso se repita, em todos os estados da confederação.
A maioria dos colegas, dão pouca, ou nenhuma importância, à nossa liga, LABRE, e/ou, aos nossos clubes.
Sem estas entidades, não haveriam tantos eventos e encontros. Não haveriam repetidoras. Não haveira tanto incentivo e cursos preparatórios àqueles que estão ingressando ou pretendem ingressar no Radioamadorismo, ou àqueles que pretendem fazer promoção de classe.
Temos que refletir melhor sobre o que estamos fazendo ou deixando de fazer.
Está na hora de mudarmos os nossos pensamentos e as nossas atitudes, enterrarmos os nossos preconceitos, perdoarmos e esquecermos os nossos desafetos! Está na hora de mudarmos este cenário!
Ouço muito, as pessoas criticando e reclamando da LABRE-PR e/ou dos clubes, muitas dessas pessoas, por absurdo que seja, sequer são associados.
Reclama-se muito, que a LABRE não tem representatividade.
É claro que não tem! Pois a maioria dos Radioamadores Paranaenses, não se filiam. Alguns chegam a jogar contra, pensando que está fazendo grande coisa. Isso, além de enfraquecer a LABRE-PR, enfraquece o Radioamadorismo Paranaense e Brasileiro.
Quem torna a LABRE representativa, não são apenas os seus dirigentes (Presidente, Diretores, Conselheiros, etc), os associados também são muito importantes, tanto em quantidade quanto em qualidade.
Precisamos que os Radioamadores Paranaenses, que não são filiados a LABRE, ao invés de ficarem criticando e reclamando, arregacem as mangas e filiem-se. E os que já são filiados, sejam mais participativos, procurem saber o que a LABRE esta fazendo, quais são os planos dos atuais dirigentes,
escolham os dirigentes através das eleições, candidatem-se a algum cargo, dêem idéias para fortalecermos o radioamadorismo Brasileiro, dêem idéias para que a LABRE-PR possa ser mais representativa.
Não basta apenas, você associado, pagar a sua anuidade, procure também participar, promover alguma atividade, algum evento, dar idéias, etc…
Enfim façamos algo útil, ao invés de somente reclamarmos! Está em nossas mãos!
Novamente, convido a todos, à um exame de consciência. Vamos nos unir para fortalecer o Radioamadorismo Brasileiro. Como? Filiem-se a LABRE. Filiem-se ao clube de sua cidade, se tiver condições financeiras, filie-se a mais que um. É o único modo de fortalecermos o nosso hobby, enquanto ele
ainda existe.
73 a todos!
Fernando (PY5IT)

Segue abaixo um breve relato de como funciona o Radioamadorismo no Mundo.
O Radioamadorismo é um movimento mundial, coordenado pela IARU (Internacional Amateur Radio Union)
www.iaru.org, e cada país do mundo tem a sua liga, no nosso caso, aqui no Brasil, a LABRE.
Para que serve a IARU?
A IARU defende que as faixas freqüências destinadas ao Radioamadorismo, continuem com esse
destino em todo o mundo. Além disso, a IARU, juntamente com as ligas de cada país, LABRE, no
caso do Brasil, interage com os órgãos regulamentadores de telecomunicações, para manter a
homogeneidade das faixas de freqüência e das legislações do radioamadorismo.
Quem mantém a IARU?
Os radioamadores filiados as ligas de seus respectivos países. A IARU cobra anualmente uma taxa
das ligas de cada país no mundo todo, aqui no Brasil essa taxa é cobrada da LABRE.
Uma coisa importante a ser dita, é que a IARU mantém um cadastro de todos os Radioamadores de
todo o mundo e essa taxa é cobrada sobre a quantidade de Radioamadores que um determinado
país possui, independente de serem ou não filiados a liga de seu País.
Ou seja, no Brasil, os Radioamadores filiados a LABRE, pagam as taxas da IARU, que já estão
embutidas na anuidade da LABRE, por eles e pelos outros que não são filiados.
O que aconteceria com o Radioamadorismo se a IARU deixasse de existir?
Seria a instauração do caos.
Cada País teria sua legislação “independente”, as faixas de freqüências de cada país não
coincidiriam com os outros, tornando quase impossível a comunicação entre Radioamadores de
Países diferentes.
Os órgãos regulamentadores de vários Países tentariam reduzir ao máximo ou até suprimiria as
faixas de freqüência destinadas ao Radioamadorismo.
Seria um enfraquecimento muito grande e a tendência seria o Radioamadorismo deixar de existir em
todo o mundo.
Quem é a LABRE?
A LABRE , Liga de Amadores Brasileiros de Radio Emissão, é a união de todos os Radioamadores
Brasileiros a ela filiados.
Para que serve a LABRE?
Para representar, defender e apoiar o Radioamadorismo Brasileiro.
A LABRE, é o único órgão reconhecido oficialmente pelo governo Brasileiro, a representar o
Radioamadorismo.
A LABRE, juntamente com a ANATEL, elabora a agenda de provas para ingresso e/ou promoção de
classe dos radioamadores brasileiros.
Porque, atualmente, a LABRE tem pouca representatividade no Brasil?
Porque a maioria dos Radioamadores, que deveriam se filiar, não o faz. Isso enfraquece tanto a
LABRE, quanto o Radioamadorismo Brasileiro.
O que aconteceria com o Radioamadorismo Brasileiro se a LABRE deixasse de existir?
Os Radioamadores Brasileiros deixariam de ter um representante reconhecido pelo Governo Brasileiro.
Ficaria complicada a situação das provas para ingresso e/ou promoção de classe, pois não haveria um representante para agendá-las.
Finalmente pela falta de incentivo e pela desinformação, reduziria-se gradualmente o número de candidatos a Radioamador, até que o Radioamadorismo Brasileiro deixasse de existir.
Algum órgão governamental assumiria a coordenação de tudo isso, e cobraria taxas exorbitantes dos
Radioamadores.

PY5IT – Fernando

Uma opinião sobre “Carta Aberta aos Radioamadores Paranaenses e a todos do Brasil

  • 06/01/2019 em 5:25 pm
    Permalink

    Os radioamadores não se filiam porque as taxas de filiação para uma entidade que nada faz pelo radioamador são demasiado altas.
    Os caras querem cobrar taxas equiparadas a OAB, CREA, CAU, CRA, e outros Conselhos Representativos Profissionais.
    Se a LABRE entendesse que não é por ser um HOBIE, que todos estão com dinheiro sobrando.
    O elitismo e o classismo do radioamadorismo brasileiro está sufocando essa atividade.
    Então, antes de criticar os que não se filia à LABRE, é preciso entender a razão pela qual isso não acontece.
    Depois é preciso parar com o classismo, onde um sujeito apenas por se Classe A ou B, se acha o tal, quando na verdade apenas fez um exame e galgou uma classe de um hobie que nada acrescenta a sua vida.
    Sou Operador Radiotelegrafista e Radioamador Classe C, jamais me interessei em, como radioamador em fazer exame para uma classe B ou A, pois como disse, era radioamador antes de me tornar radiotelegrafista.
    Quando estamos em algum QSO em 2 metros (VHF) ou mesmo em outras bandas, sempre aparece o arrogante classe B ou A achando-se o tal, quando na verdade é apenas um operador amador de radiocomunicação.
    Claro que o radioamadorismo é importante, e merece respeito, bem como muitos radioamadores tem meu respeito independentemente de classe, eu me refiro a um enorme grupo de arrogantes.
    E isso também afasta os demais da LABRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.